• Mayara Nunes

Um encontro incomum, singelo e inspirador



Os jovens estudantes de Medicina da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, como parte do currículo da formação médica, têm que realizar uma experiência no campo social.


Este projeto foi realizado na Comunidade Acolhedora, da Paróquia Santa Cecília, servindo pão e café para a População em Situação de Rua.


Este ano, para concluir este tempo de “inserção” nesta realidade social, realizaram uma festa Junina, bem simples e com comidas típicas.


Neste dia, os jovens, ao invés de servir, se sentaram com o pessoal. Foram de dois em dois nas 20 mesas espalhadas, simplesmente para conversar.


Os futuros médicos queriam saber deles como deve ser um medico como eles devem atuar etc...


Foi um lindo intercambio entre gerações. Mas, mais ainda, entre grupos, totalmente distintos. Tecendo entre eles uma relação de respeito mútuo.


Esta ocasião me tocou, me provocou.....


“Eu sou capaz de tomar tempo para conversar, me relacionar com pessoas “vulneráveis” e “excluídas”?


Quando foi a última vez que eu solicitei a opinião de outras pessoas sobre minhas atividades?


Agora, querido leitor e querida leitora, eu gostaria de saber sua opinião sobre este escrito.


(Ir. Eleonora Syder)




0 visualização