• Mayara Nunes

Renascer no amor de Cristo: a descoberta da vocação religiosa

Há um só Corpo e um só Espírito, como também há uma só esperança à qual fostes chamados, a de vossa vocação (Ef 4, 4)


Dedicar a vida à Cristo, entregar-se à missão, assim como os apóstolos, de levar a palavra e os ensinamentos de Deus, abrir mão dos bens e posses pelo propósito de viver para a comunidade: a descoberta da vocação religiosa abre as portas para a consagração da presença de Deus em nossas vidas.


Papa Francisco diz que “nenhuma vocação nasce por si, nem vive para si. A vocação brota do coração de Deus e germina na terra boa do povo fiel, na experiência do amor fraterno”. O que ele quer dizer com isso? Que a vocação é a chegada do momento de total desprendimento de sentimentos e posses mundanas, para viver plenamente o amor genuíno de Cristo.

Doar-se aos outros transforma a pessoa religiosa em instrumento vivo e ferramenta de Deus na Terra, que carrega os valores religiosos e virtudes divinas. Se tornar devoto à comunidade é uma grande responsabilidade e virtude da religiosa quando recebe o chamado de Deus para exercer sua vocação.


“A colheita é grande, mas os trabalhadores são poucos. Pedi, pois, ao Senhor da colheita que mande trabalhadores para sua colheita” (Lc 10,2). Sendo assim, quem encontra sua vocação religiosa se depara com uma importante missão: ser trabalhador na colheita de Deus.


Na jornada da vocação religiosa, o caminho é permeado de devoção ao outro, orações, educação e missões diversas para aproximar o Reino de Deus cada vez mais das pessoas.

Mas como é possível descobrir se você está pronta ou se possui vocação religiosa?


O chamado para a vocação é divino. Mas é preciso reflexão, oração, estudo e paciência para chegar à conclusão. O primeiro passo é entender o que é a vocação, não ter medo de buscar as informações e abrir o coração para escutar a palavra de Deus. Depois, pense em qual trabalho gosta de realizar, quais talentos possui, de que maneira você pode usar suas habilidades em prol dos outros e de maneira que agregue aprendizados e incentivo para a sua comunidade.


Um dos processos mais importantes durante essa descoberta é o autoconhecimento: reflita, se observe, se imagine em diversas situações e como reage a elas, o que você gosta de fazer, quais sentimentos te despertam alegria, gratidão, tristeza ou incerteza.


Outro passo é buscar orientação profissional, de modo que você consiga, com o auxílio especializado, identificar com mais assertividade sua vocação e se concentrar nos caminhos que deve seguir.


E por último, mas não menos importante, ore. A oração é fundamental para acalmar a mente, se conectar com Deus para escutar seu chamado e deixar que Ele te guie na direção certa.

Texto| Marina Ferreira

0 visualização