• Mayara Nunes

O Reino de Deus é para todos

Jesus vem para resgatar quem está perdido, não condenar


Há tempos, sociedades do mundo todo selecionam quem serão os seres humanos dignos e os não dignos de pertencer e merecer o amor e a graça de Deus. Em diversas culturas, não importa qual as crenças que as regem, existe um comportamento de massa que dirige a maioria da população.


Essa cultura é determinante no momento da seleção causada quando algum grupo específico dessa sociedade é excluído, privado de direitos e banido do convívio harmônico com o restante das pessoas. As regras estabelecidas em uma sociedade também se pautam em outros fatores além da cultura, como economia e religião.

O entendimento objetivo do “certo e errado” é construído dentro desse contexto e usado como arma quando o assunto é Deus, fé, amor e espiritualidade. Quando a cultura estabelecida determina quem são os excluídos, a partir de então eles passam a ser julgados como inadequados ao amor de Deus.


Aqueles que se dizem cristãos e buscam se guiar pelo caminho de Jesus devem ser instrumentos de mudança em sua própria comunidade. Ao presenciar uma situação de exclusão ou preconceito com os que são denominados como “indignos” do amor de Deus, a atitude nesse momento deve ser o diálogo e a escuta consciente, para que, assim, possamos começar a estabelecer uma cultura de paz.


Já é sabido, Jesus não julgava as pessoas por suas opções de vida. Pelo contrário, as acolhia e passava seus ensinamentos com amor e serenidade. Para Deus, todos são seus filhos, não importa o que aconteça. Todos serão recebidos com amor em seu coração.


A parábola da ovelha perdida é o resumo de todo o ensinamento que Jesus passa para nós. Não importa quem esteja perdido. Ele estará sempre lá para resgatar seus filhos e acolhe-los com amor e sem julgamentos. Jesus é o pastor, somos as ovelhas. Cada um de nós comete pecados, que serão redimidos graças ao amor do Deus todo poderoso.


Fiquemos com a reflexão sobre nossos julgamentos, nossas ações e atitudes com relação aos nossos irmãos. Quem somos nós para condenar o outro? Deus é o único capaz de avaliar nossas atitudes. Que cada um possa olhar para dentro de si e questionar: estou julgando meus irmãos por suas atitudes contrárias às minhas crenças? Como posso acolhe-los e dialogar para que todos possamos viver em amor fraterno e guiados por Jesus?


A Parábola da Ovelha Perdida


Todos os publicanos e “pecadores” estavam se reunindo para ouvi-lo. 2 Mas os fariseus e os mestres da lei o criticavam: “Este homem recebe pecadores e come com eles”.


3 Então Jesus lhes contou esta parábola: 4 “Qual de vocês que, possuindo cem ovelhas, e perdendo uma, não deixa as noventa e nove no campo e vai atrás da ovelha perdida, até encontrá-la? 5 E quando a encontra, coloca-a alegremente nos ombros 6 e vai para casa. Ao chegar, reúne seus amigos e vizinhos e diz: ‘Alegrem-se comigo, pois encontrei minha ovelha perdida’. 7 Eu lhes digo que, da mesma forma, haverá mais alegria no céu por um pecador que se arrepende do que por noventa e nove justos que não precisam arrepender-se.


Texto| Marina Ferreira


11 visualizações0 comentário