• Mayara Nunes

Irmãs da Santa Cruz participam do FSM


Com o tema “Resistir é Criar, Resistir é Transformar” aconteceu entre os dias 13 e 17 de março de 2018, o Fórum Social Mundial (FSM), em Salvador, Bahia.

De acordo com informações no site oficial do FSM, os sonhos e os desejos de uma nova sociedade igualitária e justa, se defronta com o crescente fundamentalismo expressado em guerras, xenofobias e sistemas de dominação que golpeiam a liberdade e as democracias.


Em 2018, o FSM volta a ser sediado no Brasil, “com a perspectiva de servir aos movimentos de resistência contra o avanço das forças neoliberais e suas investidas contra as jovens democracias na América Latina” (site oficial do FSM).


Sendo assim, “a capacidade de resistir é violentamente desafiada”. Por isso, as organizações e movimentos alinhados com a Carta de Princípios do Fórum Social Mundial se autoconvocaram e reuniram a diversidade de lutas em Salvador para somar forças para a resistência.


A partir destas motivações, o Fórum Social Mundial de 2018 foi realizado por meio de seminários, plenárias, oficinas, atividades culturais e conferências. Além disso, contou com marchas e atos pela capital baiana.

A Congregação das Irmãs da Santa Cruz no Brasil apoia e participa deste importante evento mundial.


O Fórum Social Mundial é um espaço de debate que discute temas que estão em consonância com os posicionamentos da Congregação, no que tange a atuação social das irmãs na sociedade.


Para marcar a presença da Congregação, as irmãs Elizângela Matos e Lourdes Pimentel, levaram os posicionamentos da instituição para reafirmar o compromisso em defesa da Mulher, da Justiça, da Terra e da Água.


De acordo com Ir. Lourdes Pimentel, o Fórum Social e os diversos temas sociais que são refletidos com pessoas de vários Continentes desafia a sociedade e, de modo particular, provoca a missão das Irmãs da Santa Cruz.


“Desafia o nosso compromisso como religiosa e como membro da sociedade civil. Este Fórum tem uma amplitude muito grande. Todas as temáticas discutidas e refletidas foram provocações que deixaram grande desafio para a continuidade dos trabalhos”, considerou ir. Lourdes.


Entre a diversidade de programação, as irmãs marcaram presença nas tendas da Assembleia das Mulheres, dos Direitos Humanos, da Economia Solidária, do Feminismo, das Mulheres Negras entre outras.


Sobre o FSM

O Fórum Social Mundial teve início em 2001 por organizações e movimentos sociais que, a partir de uma proposta inicial, se auto-convocaram e mobilizaram para um grande encontro em Porto Alegre, em contraposição ao neoliberalismo representado pelo Fórum Econômico Mundial, que ocorria ao mesmo tempo em Davos, na Suiça.

Nos anos seguintes (2001, 2002, 2003 e 2005) continuou acontecendo em Porto Alegre e depois percorreu o mundo com encontros em Mumbai, Caracas, Karashi, Bamako, Nairobi, Belém, Dacar, Tunis e Montreal. Além de edições temáticas, regionais, continentais.


Conheça a CARTA DE PRINCÍPIOS do FSM

78 visualizações