• Mayara Nunes

IISC viabiliza projeto que oferece assistência social à famílias em situação de vulnerabilidade

Em 2018, o Instituto das Irmãs da Santa Cruz (IISC) colaborou com inúmeros projetos espalhados pelo Brasil. Apoiou iniciativas que têm como princípio primordial o amor ao próximo e que visam a garantia de direitos; o acesso à educação; o acesso à cidadania e a valorização dos Direitos Humanos.


É neste sentido que atua o projeto “Resgatando Vínculos” realizado pela Cáritas Arquidiocesana de São Paulo, núcleo regional Sé. A iniciativa consiste em prestar atendimento à pessoas em situação de vulnerabilidade possibilitando o acesso à assistência social, ao trabalho e a diversos serviços de atendimentos como, encaminhamentos nas áreas jurídica, psicológica, espiritual e social.


O projeto é realizado na Cáritas, todas as quartas-feiras. Semanalmente mulheres que vivem nas imediações do centro, participam de seminários em grupo, que abordam estratégias de fortalecimento e o reconhecimento dessas mulheres enquanto agentes de mudança em suas próprias vidas. O projeto traz também aulas de economia solidária e oficinas de artesanato, panificação e culinária como forma de desenvolver capacitação e geração de renda.


Para irmã Sônia Maria Martins, coordenadora do projeto, é imensamente gratificante ver a mudança acontecer. “São mulheres desempregadas, que são chefes de família, e que estão a procura de um trabalho, e que por vezes, não tem uma profissionalização que garanta um salário que possa ajudar nas despesas da casa. Então, pra mim é muito gratificante poder estar atendendo essas mulheres, e mais gratificante ainda é o apoio da Congregação das Irmãs da Santa Cruz. As irmãs tem ajudado bastante no atendimento a esse público, e tem feito elas saírem daqui transformadas, com a autoestima elevada, com esperança e mais confiantes. Produzindo seus trabalhos e vendendo”, afirma Irmã Sônia.

O atendimento é direcionado a população que reside nas ocupações da região central de São Paulo, porém, acolhe pessoas de outros lugares da cidade. Em geral são pessoas em situação de extrema vulnerabilidade, algumas estrangeiras de países vizinhos da América Latina, que vieram para São Paulo em busca de emprego e melhores condições de vida, e nessa busca acabaram se distanciando dos seus vínculos familiares.


Além das oficinas e palestras, esses encontros possibilitam que as usuárias não se sintam sozinhas diante da situação que enfrentam, estar em grupo gera fortalecimento e a criação de novos vínculos e amizades.


Para Dom Eduardo Vieira Santos, bispo auxiliar na Arquidiocese, o apoio do IISC garantiu a continuidade e realização do projeto e atuou para o fortalecimento das mulheres atendidas pela Cáritas. “O financiamento é primordial e torna possível garantir o mínimo para algumas famílias, dando a possibilidade de acesso à muitos serviços em favor das pessoas mais pobres. Nós tivemos o impacto social de ver a mudança comportamental dessas pessoas ao serem atendidas e valorizadas, vendo de fato sua dignidade como cidadãs. Para nós isso é fundamental”, argumenta o Bispo.


“Nós almejamos a mudança e a transformação social e isso requer o envolvimento da Cáritas e um comprometimento de todos. A gente agradece imensamente tanto às pessoas beneficiárias deste trabalho, como também aqueles que organizam e que financiam, favorecendo assim, um trabalho em prol da dignidade das pessoas. Para nós isso é muito valoroso e é um grande sinal para essas famílias”, explica Dom Eduardo.


Texto | Mayara Nunes

Revisão Editorial | Fabiano Viana




8 visualizações