• Mayara Nunes

IISC leva formação musical a jovens do semiárido Pernambucano

O projeto Jovem Músico Rural desenvolvido no Centro de Educação e Desenvolvimento Comunitário (CEDEC) apresenta alternativas no campo da educação cultural para crianças e adolescentes da região de Arcoverde, Pernambuco.


Com o apoio do Instituto das Irmãs da Santa Cruz (IISC) o projeto promove formação musical para os jovens da zona rural. O objetivo é que eles se tornem multiplicadores das riquezas culturais e tradicionais da região.


A ideia já tem proporcionado belos resultados. Os jovens aprendizes cantam e encantam com a orquestra “Sementes da Esperança” e já apresentam as riquezas sonoras da zona rural em diversas cidades de Pernambuco.

Alessandro Albuquerque, diretor de projetos do CEDEC, comenta que o interesse dos jovens pela música tem transformado a vida cotidiana destes, e que se nota um melhor desenvolvimento tanto na escola como nas relações familiares. “Trabalhamos durante os encontros uma maior segurança na personalidade, o vencer da timidez, a importâncias que eles têm na sociedade e o desenvolvimento das suas capacidades. A consciência das criança e adolescentes quanto ao perigo da influência das drogas, a exploração do trabalho infantil e a importância da família são pontos muito presentes na nossa avaliação”, afirma.


Alessandro ainda menciona que sem o apoio do IISC o projeto estaria apenas no papel, visto que o CEDEC não tinha condições financeiras de realizar este sonho. “A presença do Instituto das Irmãs da Santa Cruz permitiu que nossas crianças tivessem acesso a instrumentos musicais bons, a um profissional dedicado a formação musical, ao transporte que os conduziu durante as aulas três vezes na semana, sendo que, algumas crianças residem a uma distância de 15km da sede onde acontecem os encontros de formação. Somos muito gratos por esta parceria. Hoje temos condições de levar a frente, não apenas como aulas de música, mas como uma verdadeira orquestra chamada Sementes de Esperança”, agradece o diretor.

­

Texto| Mayara Nunes



7 visualizações