• Mayara Nunes

IISC investe em atividades socioeducativas para crianças e adolescentes da cidade de Dutra




Diante da crise política e financeira que assola o país, e da crescente falta de investimento financeiro em entidades que atuam pela defesa dos Direitos Humanos, ocasionando, muitas vezes, a interrupção do projeto e a perda de vínculo com a comunidade, é que o Instituto das Irmãs da Santa Cruz (IISC) escolheram apoiar projetos que transformam vidas em todo o país.


Um dos projetos contemplados em 2018 pelo fomento é o “Multirão no Bem”, da cidade de Dutra. O projeto teve como finalidade acolher com amor crianças em situação de vulnerabilidade social e propiciar um espaço de convivência e educação baseado em valores inerentes como a justiça, bondade e amizade.


Formando cidadãos com plena consciência sobre seus direitos e deveres, e capacitando as crianças para lidar com altivez diante dos obstáculos da vida.


O “Multirão no Bem” atendeu 64 crianças, em dois turnos, manhã e tarde.


Proporcionou oficinas de música, artes, espaço para o lazer e atividade lúdicas de acordo com cada idade, atendendo crianças de 6 à 14 anos.


“Com o apoio das Irmãs da Santa Cruz, nós conseguimos dobrar o número de crianças atendidas. Iniciamos o trabalho atendendo apenas em um turno, com o investimento foi possível dobrar o atendimento em dois turnos”, conta Luciano Bresciani, presidente do Centro da Criança Multirão no Bem.


Apoiado em 2018, pelo IISC o “Multirão no Bem” tem como valor apoiar famílias, em comunidades onde há vulnerabilidade social, no desenvolvimento pessoal das crianças e adolescentes a fim de garantir a eles seus direitos e contribuir na formação de cidadãos mais conscientes de si e do próximo.


“Esse projeto que no contrário do ambiente escolar trás as crianças para um ambiente de acolhimento, de amor, e principalmente faz com que essas crianças tenham contato com valores importantes como respeito, educação, direitos, deveres, amizade.


As oficinas são fundamentais e a criança tem uma experiência muito positiva e consegue enxergar que há sempre uma segunda, ou terceira opção”, ressalta Luciano.


Para Luciano, o projeto forma o cidadão para tomar decisões baseadas no conhecimento de outras oportunidades para a vida, que estão além do convívio na comunidade e diz, “O nosso grande objetivo é educar pra a vida”.


Texto: Mayara Nunes

Revisão editorial: Fabiano Viana



0 visualização