• Mayara Nunes

“Fraternidade e Políticas Públicas” é tema da CF 2019

Atualizado: 22 de Mar de 2019


Nesta quarta-feira (6), a Conferências de Bispos do Brasil (CNBB) lançou oficialmente

a Campanha da Fraternidade para o ano de 2019, que terá como tema “Fraternidade e

Políticas Públicas” e o lema “Serás libertado pelo direito e pela justiça”.


A campanha deste ano chama a atenção da comunidade cristã para políticas que prezem pela garantia dos direitos humanos.


Segundo a CNBB é importante ressaltar que falar de políticas públicas não é falar de

politicagem, eleições ou partidos.


É falar sobre um conjunto de ações a serem implementadas pelos gestores públicos a serviço da população nas áreas de saúde, educação, habitação, meio ambiente, transporte, lazer visando contemplar a qualidade de vida da sociedade como um todo.


O tema da campanha foi escolhido há mais de dois anos, entre 80 sugestões. “Sabemos

que as políticas são responsabilidade de Estado e governos e queremos dar nossa

contribuição com a nossa reflexão.


A sociedade brasileira está necessitada de diálogo e

de paz”, disse Dom Leonardo Steiner, bispo auxiliar e secretário-geral.


Durante a conferência, Dom Leonardo leu a mensagem enviada pelo Papa Francisco

para a campanha no Brasil. “Todas as pessoas e instituições devem se sentir

protagonistas das iniciativas e ações que promovam o conjunto das condições de vida

social que permitem aos indivíduos, famílias e associações alcançar mais plena e

facilmente a própria perfeição”, diz a mensagem vinda do Vaticano.


O evento também contou com a presença da procuradora-geral da República, Raquel

Dodge, em sua fala, a chefe do Ministério Público Federal (MPF) enfatizou a promoção da fraternidade, “como princípio que move a Igreja e deve mover o Estado brasileiro”.


Para a procuradora, a CF “pede políticas públicas que ensejem vida digna para todos”.

Motivados pela Campanha da Fraternidade 2019, o Instituto das Irmãs da Santa Cruz irá

promover uma série de seminários que trataram de políticas públicas. As palestras irão

se estender ao longo de três anos, dada a importância do tema.


Este ano os seminários discutirão políticas públicas para mulheres, no combate a violência de gênero, e políticas públicas de migração, no combate a xenofobia.


Texto: Mayara Nunes | Editor: Fabiano Viana | Agência Fazercom

0 visualização