• Instituto Irmãs da Santa Cruz

ADDIISC apoiou o 15º Encontro dos Povos Indígenas de Guarulhos:

A resistência dos povos indígenas e o plantio como estratégia


No último dia 20 de agosto, o ADDIISC participou do 15º Encontro dos Povos Indígenas da cidade, realizado na comunidade Multiétnica Filhos Desta Terra, localizada em Guarulhos.

O censo do IBGE de 2010, apontava que Guarulhos já abrigava uma população de 1.434 indígenas distribuídos por todo o território do município.


Reuniram-se durante o evento membros/as de diferentes etnias e de diferentes faixas etárias como Pankararu, Pankararé, Xukuru-Kariri, Wassu Cocal, Guajajara, Kaimbé, Tupi, Puri, Tabajara, Pataxó, Guarani Mbya, Timbira, assim como visitantes de escolas públicas de São Paulo, a equipe do CIMI São Paulo, representantes da Prefeitura de Guarulhos e do ADD e pessoas em geral.


Ressalta-se que o ADDIISC apoiou a vinda de membros Guarani Mbya da Terra Indígena do Rio Silveira, localizada em Bertioga. Essa vinda proporcionou uma troca ainda mais rica e de luta para o Encontro, simbolizada pelo plantio de uma muda pela liderança Guarani Mbya, Mariano, em conjunto com membros/as da comunidade Multiétnica.



Outro destaque foi a presença dos e das jovens de diferentes etnias que falaram da importância de seguirem suas tradições e os desafios vivenciados pela juventude indígena no Brasil. O caminho da resistência é árduo, mas as crianças e jovens inspiram um novo futuro.


Durante o dia, foram realizadas apresentações culturais, cantos de toré, compartilhamento de relatos e experiências e uma série de atividades. Entre elas, destaca-se principalmente o plantio de mudas. Ao todo, a parceria articulada pelo CIMI São Paulo com o Horto Florestal de São Paulo facilitou a entrega de pelo menos 68 mudas de árvores de espécies distintas para plantio no território da Multiétnica.



A conversa incentivada pelo ADDIISC, aconteceu durante o Encontro, a partir da experiência de plantio, na qual a comunidade homenageou parceiros/as e a própria resistência da comunidade, a partir de cada uma das mudas plantadas.


Awá Kuaray Wera, do povo Tupi e morador da Multiétnica, abriu sua fala afirmando a importância do Encontro, relatou os desafios que enfrentam e a necessidade de resistirem e buscarem o bem viver, por meio do plantio e da luta por políticas públicas.


A bióloga Assucena Tupiassu, que teve a honra de auxiliar no plantio da primeira muda, explicou para todos e todas presentes: “a muda precisa sair do invólucro, que é a casa dele, mas precisa manter a raiz. Para manter a raiz, a gente tem que apertar o monte de terra que está protegendo a raiz” e continua enquanto planta a muda, “o ideal seria molhar um pouco para ela ficar mais coesa (...), a gente vem para cá com as raízes e a gente precisa proteger as raízes”.


Já Rafael, do CIMI São Paulo, afirmou: “a gente percebe a importância do plantio e a gente que mora na cidade, quando chega aqui [na Multiétnica] a gente nem acredita que tudo isso aqui, então vemos a importância da preservação do meio ambiente”.





9 visualizações0 comentário